Live: melhores práticas de gestão de TI em cloud computing

Já foi o tempo em que a TI servia apenas para resolver problemas na organização. Garanta que sua área seja um centro de inovação para a empresa seguindo as melhores práticas de gestão do mercado.

É um ditado conhecido para quem é da área que “a TI é o resolvedor de problemas da instituição”. Nas décadas de 60 e 70, quando havia necessidade de realizar uma atividade operacional, os engenheiros de TI eram responsáveis por construir ferramentas e viabilizar estas entregas. Dia após dia, o campo de atuação da TI evoluiu para um modelo de entrega de serviço para os clientes finais, com a criação de interfaces, conexões e o surgimento dos computadores. Hoje, toda a parte de processamento é levada para um ambiente maior – o da nuvem. 

A missão da TI é trabalhar para entregar soluções inovadoras, que proporcionem mais segurança e agilidade às operações. Para atingir estes objetivos, a gestão de TI deve ser baseada em boas práticas de computação em nuvem. Pensando em auxiliar sua TI a se aliar aos objetivos gerais do negócio, nosso CTO, Cyrano Rizzo, apresentou uma live sobre As melhores práticas de gestão de TI em ambientes de cloud computing com o apoio dos nossos parceiros. Se você não pôde participar ao vivo, não se preocupe! Acompanhe este resumo com os principais conceitos que foram tratados na live.

Melhores práticas de migração para a nuvem: o processo Lift-and-Shift

Em geral, uma boa prática é a migração de todo o serviço de TI em um padrão Lift-and-Shif (ou seja, com base na migração de workloads com o mínimo ou nenhuma alteração por meio de uma cópia na nuvem em uma estrutura mais parecida com a tradicional, desligando o ambiente anterior).

Quanto menores as alterações, menor será o impacto para as operações. Portanto, o método Lift-and-Shift é o mais seguro. Dentro deste processo, há uma coletânea de boas práticas que permitem o empoderamento de todas as atividades de elasticidade e controle que a nuvem traz para a TI.

Interação com o portal em nuvem 

A principal forma de realizar a gestão do ambiente em nuvem é por meio da interação com um portal. Todas as nuvens têm um portal onde é possível criar e modificar todas as configurações, por exemplo, criar uma nova máquina virtual para atender a uma demanda sazonal, o que permite maior escalabilidade. Esta Interface de Programação de Aplicações (ou API) possibilita o agendamento de processamentos e consumo de recursos, possibilitando uma qualidade de serviço melhor.

Gestão de ambientes de TI em cloud computing: os pilares das melhores práticas

Foco no negócio

Considerando que, geralmente, as empresas contam com um déficit e sobrecarregam seus colaboradores, o tempo dedicado a melhorias para o negócio é muito limitado ou não existe. Por isso, o caminho mais assertivo para o crescimento das organizações é a capacitação e evolução dos profissionais para o redirecionamento do foco destas pessoas para o negócio – o que proporciona uma redução de Custo Total de Propriedade (TCO).

Na nuvem, ao invés de lidar com os “incêndios”, as equipes de TI podem delegar preocupações quanto à infraestrutura e pensar em soluções e inovação para garantir entregas de alto nível. Quanto mais a TI se aproximar do cliente, entregar funcionalidades, diferenciais, produzir mais serviços e resolver problemas, melhor as necessidades do negócio serão atendidas. 

Information Technology Service Management (ITSM) e o foco no cliente

O ITSM é um framework para a gestão de TI como serviço que, aliado ao Information Technology Infrastructure Library (ITIL), auxilia no processo de gerir TI em cloud. Estas práticas se concentram mais na prevenção, em vez da solução de um problema após a escalada. As conversas entre a gerência deixam de ter catálogos de serviços e passam a ter modelos de autoatendimento com o objetivo de proporcionar uma melhor experiência ao usuário.

Entretanto, ITSM não é ITIL! O ITSM é um processo dentro de uma padronização (ITIL), do qual faz parte a noção já comentada anteriormente do foco no negócio, que repercute no foco no cliente. Uma vez que as organizações, em geral, definem quais são os \”riscos\” e \”custos\” com base nos requisitos dos clientes (internos ou externos), é importante que a empresa atribua valores e importância a seus produtos e serviços individuais em relação aos usuários. Desta maneira, é possível obter indicadores melhores e investir recursos de forma mais eficiente.

O ITSM é composto pelos seguintes processos:

  • Atendimento ao cliente
  • Suporte e prestação de serviços de TI
  • Gestão financeira

Implementação do ITSM: qual é o momento perfeito para ir para a nuvem?

A estrutura da implementação do ITSM via de regra inclui um Assessment de TI para avaliação dos processos em andamento na organização para construção do novo sistema de gestão. Depois disso, o mais indicado é começar a implantação por algumas áreas, gradativamente, até atingir o todo com menos impacto.

Se você quer se aprofundar mais sobre este assunto e entender qual é o momento ideal para começar a pensar em soluções de gestão para sua infraestrutura, sugiro que você faça uma pausa, pegue um café e assista à Live com o nosso CTO, Cyrano Rizzo, na íntegra!

Veja também

Como as soluções da indústria 4.0 impactam o meu negócio?

Quando faz sentido migrar seu servidor físico para uma solução em Cloud?

Entenda os principais tipos de serviços em nuvem