Como criar Políticas de Backup eficientes

Se você tem dúvidas sobre como criar Políticas de Backup eficientes, confira este artigo com as dicas que o nosso time preparou!

Políticas de Backup nada mais são do que definir uma estratégia para proteger, de forma contínua, os dados relevantes da empresa. Para garantir eficiência e integridade dos seus backups é necessária uma Política de Backup bem estruturada ou seja, um documento no qual registra-se todas as decisões referentes ao seu backup.

Nele, devem conter informações como: quais dados serão backupeados, com qual frequência, qual é o tipo de backup a ser realizado (backup full ou incremental por exemplo), quem são os responsáveis pela execução de processos e monitoramento das métricas de avaliação. Esta política, após desenhada, será implementada por meio de uma ferramenta de backup.

Se você chegou até este artigo, deve estar procurando por uma forma de criar suas Políticas de Backup com assertividade, pois sabe que não dá para contar com a sorte quando o assunto são seus dados e já conhece os riscos. Logo vamos falar sobre isso, mas primeiro precisamos entender melhor o que é um backup, afinal.

O que é backup?

O Backup nada mais é do que o ato de copiar os dados de um ponto X para um ponto de armazenamento secundário. Isso garante mais segurança, preservação e integridade dos dados em caso de algum problema. 

Em caso de acidentes como falha de equipamentos, erro humano, falhas lógicas, arquivos e partições corrompidos, vírus e invasões, o que poderia acontecer ao seu negócio caso não tenha como recuperar os dados? Pode parecer uma atividade simples, mas ter uma rotina eficiente de backup é de extrema importância para sua empresa. A rotina de backup deve ser bem planejada para garantir seu bom funcionamento, que é fundamental para o desempenho e segurança de um negócio. 

Para garantir a integridade de seu backup é necessário que os dados possam ser recuperados – agora sim, chegamos no ponto em que falar sobre Políticas de Backup faz mais sentido. Mas você sabe qual é a importância dessa documentação para a sua empresa?

Qual é a importância das Políticas de Backup?

Dos três pilares que sustentam a segurança da informação (confidencialidade, integridade e disponibilidade) duas estão diretamente ligadas à sua Política de Backup. Assim, a integridade e a disponibilidade dos dados da empresa podem ser afetadas caso ocorra algum erro ou acidente e não exista o plano de restauração.

Você já sabe que a perda de dados pode levar à interrupção dos serviços da empresa, prejuízo financeiro e até mesmo a falência. Por isso, a Política de Backup serve para garantir funcionamento dos backups e a integridade dos dados da empresa – e aí está sua maior importância.

Como criar uma Política de Backup?

Para montar sua Política de Backup, o importante é estar atento à pirâmide que compõe os conhecimentos da sua corporação. Todo conhecimento é formado por um conjunto de informações. Por sua vez, essas informações são obtidas através dos dados coletados e tratados. Pense em uma pirâmide, na qual a base são os dados que, ao ser combinados e tratados tornam-se informações. Depois, essas informações vão compor o conhecimento da sua organização.

Por isso, quando perdemos dados corporativos, os prejuízos podem ser tão grandes: um conhecimento com informações faltantes não atinge o seu objetivo de trazer estratégia para a sua empresa, pois as informações serão inconsistentes e não poderão produzir um conhecimento sólido, que sirva de parâmetro para a operação. Em outras palavras, é um efeito em cadeia: sem dados não temos informações, sem informações não temos conhecimentos e sem conhecimentos não temos estratégia de negócio.

Assim, para criar Políticas de Backup você deve se perguntar: dentro do meu ambiente computacional, onde está contido todo o conhecimento da corporação que, se perdido, pode causar um dano gigantesco? Respondendo a essa pergunta, você saberá quais dados precisa proteger para que todo esse ecossistema seja mantido – e como fazer isso.

O responsável pelos backups

Mesmo que aparente ser algo casual é de extrema importância que a gestão do backup seja feita de forma consistente e sólida. Ao definir um responsável pela gestão dos backups é importante garantir que o mesmo conheça a política e seja capacitado para operá-la. 

Os dados que serão backupeados

É necessário que exista um alinhamento entre os setores sobre quais dados devem ser backupeados, qual o tempo de retenção e qual é a sensibilidade destes ativos. Quanto mais sensíveis forem os ativos, maior será a necessidade de aumentar a periodicidade ou até mesmo o número de cópias (às vezes é necessário realizar de 3 a 4 vezes ao dia).

Local de armazenamento desses dados

Deve-se observar qual o local ideal para armazenar os backups. Atualmente os tipos de armazenamentos mais utilizados são: fita, discos externos e em nuvem. Cada um tem suas particularidades e você deve escolher a melhor opção para seu negócio considerando os recursos disponíveis. Entretanto, o mais indicado é que os dados estejam fora da empresa para que se tenha maior garantia física dos mesmos.

Quando falamos de backup em nuvem, uma coisa que devemos observar é a taxa de transferência e a capacidade do link de internet, pois dependendo da sua base de dados, seus backups podem ser muito grandes. Pensando nisso, é importante considerar o uso de uma solução com alta capacidade de compressão e deduplicação de dados. Estas tecnologias em conjunto diminuirão significantemente o consumo de link, que resultará em uma redução expressiva no consumo de storage para armazenamento na nuvem.

Para te atualizar sobre o que já existe no mercado, a solução de Backup em Nuvem da Binario Cloud contempla estas tecnologias e é suportada pela Bacula Systems.

Qual a rotina desses backups

Na rotina de backup vamos definir:

Quais serão os métodos de backup utilizados: backups full, onde toda a massa de dados é armazenada no endereço de destino; incremental que copiará apenas arquivos ou blocos que forem novos ou modificados, ou diferencial. Também é necessário determinar o tempo de retenção das cópias e janela de horários disponíveis para que os backups sejam feitos.

Uma Política de Backup não é um capricho de segurança, mas sim uma forma de a empresa garantir sua continuidade. A grande massa de dados relacionados a estoque, fornecedores, clientes e colaboradores são digitais. Por isso, a perda dos mesmos pode ocasionar em prejuízos incalculáveis. 

Se você quer conferir mais sobre as melhores práticas de backup para a sua empresa, temos um guia completo sobre Backup em Nuvem que você conferir clicando aqui.

Veja também

A importância de ter um suporte que entende as necessidades do seu negócio

Otimize a gestão do seu T.I com autonomia

[LIVE] Persistência de dados e performance no ambiente